Consórcio Doutoral e Mestral


O Consórcio Doutoral e Mestral da ANPCONT compreende uma sistemática de mesa redonda para discussão de projetos de tese de doutorado e dissertação de mestrado de alunos de PPGC, com o objetivo de contribuir em geral para a pesquisa na área contábil e, em particular para a qualidade das pesquisas a serem defendidas.

O Consórcio Doutoral e Mestral da ANPCONT é uma atividade associada ao Congresso ANPCONT e, a partir de 2017, ocorre durante o Congresso.

A proposta resumida dos projetos de tese e de dissertação de alunos de PPGC deve ser submetida de forma eletrônica pelo site da ANPCONT. Em seguida lhe será enviada mensagem de confirmação do recebimento.

Cada aluno poderá submeter um único projeto. Cada orientador poderá participar da submissão de 1 (um) projeto para o Consórcio Doutoral e 1 (um) para o Consórcio Mestral.

Os projetos deverão conter, obrigatoriamente, o nome do orientador e do aluno.

Formato dos projetos

A proposta resumida do projeto de tese ou de dissertação é um documento objetivo, um ponto de partida bem estruturado, contendo registro de ideias e fundamentações para desenvolvimento do trabalho. Os principais elementos da proposta constituem a base para avanço da pesquisa.

A proposta a ser submetida para o Consórcio Doutoral e Mestral da ANPCONT deve ter no máximo cinco páginas, com espaço simples, margens (esquerda e superior = 3 cm e direita e inferior = 2 cm) e fonte Times News Roman de 12 pontos, em arquivo PDF.

A palavra de ordem neste caso é objetividade no registro da intenção da pesquisa.

Os itens a seguir devem estar presentes no documento.

Título do trabalho (todas as letras maiúsculas) centralizado, negrito e fonte 12 Times New Roman.

Deixe uma linha em branco e registre a área temática do evento.

Deixe uma linha em branco e registre o texto:

Problema, Objetivos e Questão de pesquisa;

Relevância do estudo;

Limitações e delimitações do estudo;

Fundamentação teórica (literatura essencial);

Método;

Contribuição e impacto esperado;

Principais referências;


Principais diretrizes para referências


Livros:
Horngren, C. T.; Foster, G.; & Datar, S. (2000). Contabilidade de custos. (9. ed.) Rio de Janeiro: LTC. Capítulos de livros: Guerreiro, R. (1999). Mensuração do resultado econômico. In: A. Catelli (Coord.). Controladoria: uma abordagem da gestão econômica - GECON. (pp. 81-102). São Paulo: Atlas.

Artigos de periódicos:
Libonati, J. J.; & Miranda, L. C. (2004). Medidas utilizadas na aval- iação do desempenho da área de suprimentos: um estudo ex- ploratório. UnB Contábil, 7(1), p. 85-104. Oyadomari, J. C. T., Aguiar, A. B., Yen-tsang, C., Cardoso, R. L., & Lima, R. G. D. (2014). Associações entre informações, desempen- ho da controladoria, desempenho gerencial e organizacional: um estudo exploratório. Revista de Educação e Pesquisa em Contabili- dade, 8(3), pp. 309-325.

Artigo on line (retirado da internet):
Silva, L. M. (2012). Contabilidade pública: reflexões sobre a gover- nança pública. Revista Abracicon Saber. 1(1), pp. 15-19. Recupera- do em 7 dezembro, 2014, de http://www.abracicon.org/index.php/- publicacoes/revista-abracicon-saber/item/revista.

Trabalhos de anais:
Carastan, J. T. (1999). Custo meta e custo padrão como instrumen- tos do planejamento empresarial para obter vantagem competitiva. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, São Leopoldo, RS, Brasil, 6.

Dissertações e teses:
Lima, A. L. A. (2000). Análise das congruências com vistas à har- monização das formas de contabilização de derivativos entre Brasil e Argentina. Dissertação de Mestrado em Administração, Universi- dade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Dissertações e teses:
Lima, A. L. A. (2000). Análise das congruências com vistas à harmonização das formas de contabilização de derivativos entre Brasil e Argentina. Dissertação de Mestrado em Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.






Apoio